Processos Diversos A3, Análise Pest, Análise Pestel e APO

Análise Pest/Pestel, A3 e APO

A3

O Pensamento A3 é um componente básico do Lean Production (Produção Enxuta) e surgiu à medida que o pessoal da Toyota encontrava problemas ou oportunidades de melhorias.

Eles solucionavam os problemas de maneira agressiva e sistemática para encontrar uma maneira melhor de trabalhar.

Então, verificavam rigorosamente que esta nova maneira se tornava o modo padrão de fazer o trabalho, caso contrário, a verificação continuava até que os problemas fossem resolvidos satisfatoriamente.

O Relatório A3 é uma ferramenta onde problema, análise, ações corretivas e plano de ação, são escritos em apenas uma das faces de uma única folha de papel tamanho internacional A3 (297 x 420 mm), normalmente utilizando-se gráficos e figuras.

Portanto, o relatório A3 é a ferramenta para apresentar de forma sintetizada e organizada a solução encontrada para o problema.

Um relatório A3, além de ser uma representação do ciclo PDCA, conta a história do problema, como será resolvido (plano de ação) e como saberemos que as melhorias foram implementadas (acompanhamento).

Matéria completa em A3 Passo-a-Passo

Análise Pest / Análise Pestel

O que é Análise Pest?

Pest é acrônimo para Política (P), Economia (E), Social (S) e Tecnologia (T). Sendo assim, a Análise Pest é utilizada para analisar mudanças políticas, econômicas, socioculturais e tecnológicas no ambiente de negócios. Ela ajuda a trazer uma visão mais macro das ameaças e oportunidades externas a que
empresas estão expostas, sendo amplamente utilizada para esse fim.

Alguns estudiosos ainda acrescentam mais duas letras para o acrônimo PEST: Ambiental (A) e Legal (L). Assim, além de Análise Pest você pode ouvir falar de Análise Pestal ou Pestel (sendo que a vogal “e” é acrônimo para environmental, que em português significa meio-ambiente):

  • Matriz ou Análise Pest: Política, Economia, Social e Tecnologia;
  • Matriz ou Análise Pestal: Política, Economia, Social, Tecnologia, Ambiental e Legal; ou
  • Matriz ou Análise Pestel: Political, Economic, Socio-Cultural, Technological, Environmental and Legal.

O nome que você utilizará diz respeito aos fatores que serão analisados para que se possam tirar conclusões sobre ameaças e oportunidades externas. Não existe receita de bolo, pois vai depender do tipo de análise que está sendo feita pela sua empresa. Perceba que ao analisar cada um dos tópicos as chances de minimizar riscos e aproveitar ao máximo as oportunidades que se apresentam tornam-se maiores.

A Matriz Pest é importante por vários motivos, conforme veremos a seguir.

Para que serve a Análise Pestel?

Lembra da Análise Swot? A Matriz Swot é uma das ferramentas mais simples e ao mesmo tempo útil que uma empresa tem ao seu dispor para entender o ambiente em que está inserida e criar a base de informações necessárias para planejar seu futuro. A Análise Pest segue o mesmo princípio, sendo amplamente utilizada tanto para auxiliar o planejamento estratégico quanto no processo de estruturação de um novo negócio.

Trabalhando com cada um de seus pontos-chave (Política, Economia, Social e Tecnologia), ela dá um direcionamento na avaliação de estratégias e dos melhores caminhos a serem seguidos. Além disso:

    • Ajuda a detectar oportunidades;
    • Ajuda a detectar ameaças significativas que poderão interferir no rumo planejado;
  • Pensando em expansão empresarial, a Análise Pest ajuda a desenvolver uma visão mais objetiva do ambiente em que a organização pensa em inserir-se.

Leia o texto completo em Análises Pest

Análise Pest / Análise Pestel

APO

A administração por objetivos, ou APO, se trata de um procedimento desenvolvido para aplicação prática do processo de planejar, organizar e controlar. Em sua origem, essa ideia foi desenvolvida por Alfred Sloan na década de 1920, baseando-se em práticas administrativas existentes na companhia DuPont. Com o passar do tempo, a prática foi sendo implementada por algumas empresas e entre elas a General Electric, que também aproveitou o momento. Foi na GE, em 1954, que Drucker a conheceu e a chamou de administração por objetivos, ele também acrescentou novos componentes enfatizando a definição dos objetivos e a avaliação isolada de cada área específica de desempenho.

A administração por objetivos dá atenção ao propósito dos participantes de uma organização e ao modo de como estes se relacionam com os objetivos da própria empresa. Podemos defini-la como um sistema de administração que visa relacionar as metas organizacionais com o desempenho e o desenvolvimento individual, principalmente, por meio do envolvimento de todos. Percebe-se ainda que a administração por objetivos aborda uma tentativa de alinhar as metas dos funcionários com a estratégia do negócio, otimizando a comunicação e a relação entre gerentes e subordinados. É um processo participativo de planejamento, que promove a descentralização das decisões e a definição das prioridades em geral.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *